Condomínio mantém estratégias que auxiliam o isolamento de moradores


Condomínio mantém estratégias que auxiliam o isolamento de moradores. Na imagem, Walmor Angelo Lell, síndico do Edifício Veneza. Curitiba 03/02/2022. Foto: Lucília Guimarães/SMCS


Com a recomendação de que pessoas com sintomas respiratórios devem manter o isolamento, um edifício no Portão reforçou, neste início de 2022, as estratégias para auxiliar moradores sintomáticos a cumprir à risca o período sem sair de casa e sem contato com outras pessoas.

Entre as soluções, o condomínio criou uma rede de apoio: síndico, porteiro e vizinhos voluntários auxiliam quem não pode sair do apartamento em pequenas tarefas, como levar da portaria até a porta de casa as encomendas - compras, refeições, medicamentos - e levar o lixo até a lixeira externa.

"Muitos aqui moram sozinhos, tem muito idoso e pessoas sem familiares na cidade. A ideia é ajudar a cumprirem o isolamento em segurança. Os outros moradores também se sentem mais seguros ao saber que todos estão se ajudando para que não haja transmissão de vírus no edifício", conta o síndico Walmor Ângelo Lell.



As medidas já ajudaram moradores de oito dos 53 apartamentos do edifício que tiveram resultado positivo para covid-19 em janeiro de 2022.

O síndico conta que desde o início da pandemia, em março de 2020, o condomínio segue à risca os protocolos de combate à covid-19 estabelecidos pela Prefeitura de Curitiba para Condomínios, "Esse material tem sido um grande apoio para termos decisões acertadas, pois temos o respaldo técnico da Secretaria Municipal da Saúde", diz Lell.

Entre as mudanças no ambiente, pontos estratégicos – como os elevadores – passaram a ter álcool em gel 70%, os funcionários têm máscaras sobressalentes para uso pessoal, a limpeza dos ambientes foi intensificada e, nos períodos mais críticos, as reuniões de condomínio foram online e agora são feitas apenas em locais arejados. Em assembleia, o condomínio aprovou que a falta de uso da máscara nas áreas comuns pode resultar em multa.
Segurança e empatia

A auxiliar administrativa Sâmela Trevisan Werneck, 32 anos, foi uma das moradoras que recebeu o apoio do condomínio para cumprir à risca o isolamento. Depois de sentir "um arranhãozinho na garganta" na última semana de janeiro, testou positivo para covid-19.

Ela avisou o síndico, que replicou a informação aos demais moradores de um novo caso de coronavírus identificado. "O pessoal do prédio foi muito gentil, senti empatia e isso certamente me ajudou a cumprir o isolamento de forma correta. Até um vizinho que tinha dividido elevador comigo antes de eu fazer o teste foi quem se ofereceu para buscar o que eu precisava na portaria", conta a auxiliar administrativa.

Com informações da  Prefeitura Municipal de Curitiba
Compartilhar

Por: Anderson Miranda

0 comentários:

Postar um comentário