Com a liberação do STJ, Arruda planeja disputar uma vaga na câmara dos deputados

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Humberto Martins, concedeu liminar para suspender os efeitos das condenações por improbidade administrativa que mantinham o ex-governador José Roberto Arruda (PL) inelegível. Com isso comenta-se nos bastidores que Arruda será candidato a deputado federal pelo PL, o partido de Bolsonaro, na chapa de reeleição do ex-governador Ibaneis Rocha (MDB), tendo a deputada federal e sua esposa, Flávia Arruda (PL), como candidata ao senado 


Foto: Facebook.

A pré-candidatura do ex-governador José Roberto Arruda (PL), ao cargo de deputado federal por Brasília agrada o presidente do Partido Liberal, Valdemar da Costa Neto, pois Arruda ajudaria a eleger mais três deputados federais.

Com isso o PL poderá fazer a metade da bancada de deputados federais do DF, com a expectativa de 300 mil votos para Arruda, ele estaria também ajudando na eleição de Bia Kicis, Alberto Fraga e Marcela Passamani para a câmara dos deputados.

Entenda a decisão do STJ
No recesso, Martins atendeu a um pedido da defesa de Arruda, com base nas regras da nova Lei de Improbidade Administrativa que entrou em vigor no ano passado. No recurso, os advogados Paulo Emílio Catta Preta e Willer Tomaz ressaltaram que o STF marcou para 3 de agosto o julgamento sobre a repercussão geral da retroatividade da nova lei. Ou seja, uma definição que valerá para todo o país está prestes a ocorrer.

No STF, o ministro Nunes Marques, já decidiu caso semelhante ao de Arruda com base nos argumentos da defesa. Trata-se de processo envolvendo o ex-deputado Roney Nemer (PP) que retomou os direitos políticos, na última sexta-feira (01), com a suspensão de condenações por improbidade.
Compartilhar

Por: Paulo Melo

"Não viva para que a sua presença seja notada, mas para que a sua falta seja sentida." (Bob Marley)

0 comentários:

Postar um comentário